segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

PORQUE LER É SABER


PORQUE LER É … SABER! 

     Num mundo globalizado como o dos nossos dias, onde a internet apresenta todo o tipo de informação e novidades, o tempo ou a motivação para fazer uma leitura tende a diminuir.
     Apesar de sabermos que os livros trazem benefícios para a nossa mente, pois ler um livro expande os horizontes, aumenta o vocabulário e nos torna mais flexíveis para argumentar, os nossos jovens têm cada vez mais colocado de lado a leitura.
     Como afirmou F. Bacon, “os livros têm grande importância em nossas vidas não só porque auxiliam na construção de nosso conhecimento, mas também porque nos trazem palavras de encanto, doçura e suavidade”.
     Na atualidade, a frequência das bibliotecas, muitas das vezes, relaciona-se com a possibilidade de ter acesso a um computador para realizar diferentes trabalhos, assistir a um filme, ou participar em outras atividades relativas ao PAA.
     Em Portugal, já se chegou a uma fase em que se volta a dar valor e importância às bibliotecas itenerantes, no sentido de recriar os apetecíveis ambientes de leitura, em que todos corriam para requisitar o melhor livro, ou pelo menos, aquele que estava na ordem do dia.
     Há que recriar hábitos de leitura, aprender a sonhar e a viajar com os livros, sentir o cheiro de um velho ou de um novo livro... Por isso, tenham uma ótima leitura!




Link:
Importância e benefícios da leitura

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Dia de Natal

Dia de Natal

Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros - coitadinhos - nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra - louvado seja o Senhor! - o que nunca tinha pensado comprar.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.

Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.

António Gedeão
CONCURSO NACIONAL DE LEITURA
 FASE DISTRITAL

Alunos apurados:

1º ciclo:

António Amorim Costa Brito Fernandes - 3º ano (EB Cabanelas)
Paulo Pereira Ferraz - 4º ano (EB Sobral)

2º ciclo:

Mariana Magalhães - 5º B
Miguel Carvalho - 6º A

3º ciclo:

Leonor Machado - 7º A
Ana Sofia Fontes - 9º B


Obras selecionadas

1.º Ciclo
Pina, Manuel António. O têpluquê e outras histórias
Porto : Porto Editora, 2018

2.º Ciclo
Mãe, Valter Hugo. O paraíso são os outros, Porto : Porto Editora, 2018

3.º Ciclo

Assis, Machado de. O Alienista, Porto : Porto Editora, 2017


segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Na Biblioteca da Escola Básica de Prado, celebrou-se o 70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos! 




segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Abraçar o MIBE: da poesia à encenação!






Pensar na acuidade da educação, é pensar na inclusão, na integração, na igualdade de oportunidades, é pensar na escola, como espaço de expressão que aquiesce e aprimora o ser humano.
Neste percurso, a Biblioteca Escolar desempenha um papel fundamental, logo que concorre para a aprendizagem da leitura, desenvolvimento do prazer do ler, do escrever, do saber, em suma, tal como referiu a aluna Eva, Presidente da associação de Estudantes “a Biblioteca é um espaço de construção e aprofundamento da cultura cívica”.
Assim, o MIBE foi palco de entrada para edificar a poesia de António Ramos Rosa, um dos nomes cimeiros da Literatura portuguesa contemporânea, cujo versejar foi entrecortado pelo som de um teclado harmonioso e dito em diversas vozes pelo 9.ºano turma C.
Ainda no âmbito das atividades do MIBE, igualmente o 5.º ano, turma B, assumiu protagonismo na encenação teatral e os alunos envergaram alguns excertos da obra consagrada de Ilse Losa, O Príncipe Nabo, criando interação, diversão e muitos momentos graciosos que cativaram e fizeram o público rir e aplaudir.
No final, a marcar este espírito, o 9.º C presenteou os alunos do 5.º B com um postal, de forma a vincar este encontro, e, na voz da Inês, esta alteou: “nós, alunos, ambicionamos crescer com estes momentos que nos proporcionam conhecimento e criação de laços, até com a magia da poesia…”

Equipa da BE

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

UM HERÓI DA TUA TERRA



No presente ano letivo, o Agrupamento de escolas de Prado participa no Concurso Rádio Miúdos “Põe a tua terra nos píncaros 2 – Um herói da tua terra!”. 
Neste sentido, a equipa das Bibliotecas Escolares propõe 6 nomes, com currículo abreviado enviado aos DT. Pretendemos que todas as turmas tenham acesso a estas informações e solicitamos a escolha de um Herói por turma. 
No final, o nome que obtiver maior pontuação será o Herói selecionado para o Concurso. Posteriormente, a Rádio escolar REP fará um anúncio áudio para promover esta personalidade. Pedimos a colaboração dos Professores Titulares e Diretores de Turma, em todo o processo. Agradecemos o envio do Herói selecionado até ao dia 23 de outubro. 
O anúncio será gravado no site www.radiomiudos.pt até ao dia 2 de novembro. A divulgação dos resultados será publicada no mesmo site a 30 de novembro. 

 A equipa das BE

PÕE A TUA TERRA NOS PÍNCAROS


MIBE



A partir do tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o International School Library Month (ISLM) em 2018, "Why I love my school library", a RBE procurou uma formulação que melhor traduzisse para a língua portuguesa a ideia transmitida, optando-se por uma linguagem híbrida em que todas as gerações se reveem: “Eu   biblioteca escolar”.
O Dia Internacional da Biblioteca Escolar será assinalado no dia 22 de outubro.
Para além das propostas da IASL, a Rede de Bibliotecas Escolares lança o habitual desafio, para assinalar o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) e celebrar a importância das bibliotecas e de tudo o que têm de bom.
A partir do lema e com a hashtag #EuBE, a RBE convida os alunos a demonstrar a sua relação com a biblioteca escolar:

Instruções:
- Criar uma frase, um meme, uma foto, um vídeo, … original que ilustre a sua ligação à biblioteca escolar;
- Partilhar no Facebook e/ou no Instagram com a hashtag #EuBE.
ATENÇÃO:
Como a hashtag #EuBE só está a funcionar no Instagram, pede-se a todos que usem a hashtag #mibe_2018, tanto para novas publicações, como para republicarem os posts que efetuaram até agora sobre este tema.
A RBE divulgará nos seus canais as propostas mais criativas que surgirem.

Além deste desafio, usa a imaginação no desenvolvimento de trabalhos sugestivos sobre o tema, nomeadamente dramatizações, leituras encenadas, ilustrações, textos, marcadores de livros, cartazes, ...
Esta iniciativa está aberta a toda a comunidade escolar.
Para mais informações, consulta o site da RBE: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/2175.html

Participa! Inscreve a tua atividade na biblioteca.


quarta-feira, 18 de julho de 2018

Boas férias e boas leituras!



Até dia 9 de Setembro, a Biblioteca Comendador Sousa Lima, de Prado, vai estar ao dispor na Praia Fluvial do Faial. O projeto, dinamizado pela Biblioteca, tem como objetivo «promover o livro e a leitura durante os meses de verão e levar a Biblioteca à comunidade e a um dos locais mais frequentados do Concelho de Vila Verde nesta altura do ano». Os livros podem ser requisitados gratuitamente todos os dias da semana, das 13h30 às 17h00.