sexta-feira, 22 de março de 2019

Dia Mundial da Água


O Dia Mundial da Água celebra-se anualmente a 22 de março.
A data visa alertar as populações e os governos para a urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso.
A gestão dos recursos de água tem impacto em vários setores, nomeadamente na saúde, produção de alimentos, energia, abastecimento doméstico e sanitário, indústria e sustentabilidade ambiental.
As alterações climáticas provocam graves impactos nos recursos de água. Alterações atmosféricas como tempestades, períodos de seca, chuva e frio afetam a quantidade de água disponível e colocam em risco os ecossistemas que asseguram a qualidade da água.

Origem da data

A comemoração surgiu no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente que decorreu na cidade brasileira do Rio de Janeiro, em 1992.
Os países foram convidados a celebrar o Dia Mundial da Água e a implementar medidas com vista à poupança deste recurso, promovendo a sua sustentabilidade.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Dia Mundial da Poesia

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO por ocasião do Dia Mundial da Poesia

21 de março de 2019

Agarra a lua
e agarra uma estrela
quando não sabes
quem és
pinta a imagem na tua mão
e regressa a casa
[…]
Alcança a lua
fá-la falar
liberta a sua alma
fá-la andar
pinta a imagem na tua mão
e regressa a casa

Excerto de “Howlin at the Moon” de Wayne Keon

A poesia, em todas as suas formas, é uma poderosa ferramenta de diálogo e de aproximação. Expressão íntima que abre portas aos outros, enriquece o diálogo – fonte de todos os progressos humanos -  e tece laços entre as culturas.
Neste vigésimo aniversário do Dia Mundial da Poesia, a UNESCO traz à luz a poesia indígena para celebrar o papel único e poderoso da poesia na luta contra a marginalização e a injustiça, e na união das culturas num espírito de solidariedade.
“Howlin at the Moon”, de Wayne Keon (membro da Primeira Nação Nipissin, Canadá) evoca a usurpação indevida da cultura indígena por outras culturas dominantes. Este poema aborda o tema da perda da identidade nativa devido à sua reinterpretação por forasteiros, independentemente das suas boas intenções e, por conseguinte, a confusão do próprio autor no que respeita à sua identidade.
A poesia é importante para a salvaguarda de línguas frequentemente ameaçadas assim como para a preservação da diversidade linguística e cultural. Proclamado pela UNESCO como o Ano Internacional das Línguas Indígenas, o ano de 2019 reafirma o compromisso da comunidade internacional em ajudar os povos indígenas a protegerem as suas culturas, os seus conhecimentos e os seus direitos.
Esta designação surge num momento em que os povos indígenas, assim como as suas línguas e culturas, se encontram, cada vez mais ameaçados, em particular devido às alterações climáticas e ao desenvolvimento industrial.
De forma a salvaguardar as tradições vivas, a UNESCO tem envidado esforços para incluir diversas formas poéticas na Lista Representativa do Património Imaterial da Humanidade, exemplo disso são os Cantos Hudhud das Filipinas, a tradição oral do povo de Mapoyo da Venezuela, a Eshuva, preces cantadas na língua indígena Harákmbut do Perú e a tradição oral Koogere do Uganda.
Cada género de poesia é único, mas cada um reflete a universalidade da condição humana, o desejo de criatividade que atravessa todos os limites e fronteiras do tempo e do espaço, numa afirmação constante de que a humanidade é uma mesma e única família.
É este o poder da poesia!
Audrey Azoulay

terça-feira, 12 de março de 2019

Semana da Leitura / Feira do Livro


No Agrupamento de escolas de Prado, festeja-se a leitura e o diálogo entre as artes, as humanidades e as ciências...
Assinalando os 100 anos do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, evocamos a escritora com diversas atividades, em todas as escolas do Agrupamento.
Nesta semana, temos ainda a oportunidade de expor os trabalhos realizados pelos alunos e encarregados de educação do ensino pré-escolar, no âmbito do projeto Vamos descobrir a nossa Terra: lendas, costumes e tradições.

quinta-feira, 7 de março de 2019

Algumas mulheres que marcaram a diferença...



Dia Internacional da Mulher


Dia Internacional da Mulher‌

(8 de março )



       No dia 8 de Março de 1857, operárias têxteis de uma fábrica de Nova Yorque entraram em greve ocupando a fábrica, como reivindicação pela diminuição da carga horária diária de trabalho, de 16h para 10h. Estas operárias - que recebiam menos de um terço do salário dos homens - foram fechadas na fábrica onde iniciou-se um incêndio. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas.
      Em 1903, profissionais liberais norte-americanas criaram a Women's Trade Union League, associação que tinha como principal objetivo ajudar todas as trabalhadoras a exigirem melhores condições de trabalho. Cinco anos depois, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque protestando pelo mesmo motivo das operárias no ano de 1857, além de reivindicarem o direito de voto. Caminhavam sob o slogan “Pão e Rosas”, em que o pão simbolizava a estabilidade económica e as rosas uma melhor qualidade de vida.
        Na Conferência Internacional de Mulheres realizada na Dinamarca em 1910, ficou decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como Dia Internacional da Mulher. Esta data, porém, só foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas em 1975.
        Como disse, José Saramago, há um Dia Internacional da Mulher como há um Dia Internacional da Criança e esta aproximação já representa o nível da sujeição em que estes dois seres se encontram.  O Dia Internacional da Mulher deveria sobretudo, um dia de exame de consciência para os homens. O verdadeiro pecado original, se bem pesarmos o significado das palavras, talvez seja esta milenária discriminação que fez do mundo um lugar governado por metade das pessoas que nele vivem: os homens.
       Se pensarmos nos últimos números sobre violência doméstica e discriminação salarial, relativamente às mulheres, não podemos ignorar que muito ainda há para fazer, em Portugal e no mundo…




Links:

Vídeos e sugestão de filmes sobre a mulher
https://www.youtube.com/watch?v=cus1NTy1OsA











quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Língua Materna


Dia Internacional da Língua Materna
                                                                     21 de fevereiro

 

 
“A Minha Pátria é a Língua Portuguesa”
- Fernando Pessoa –

    A língua materna faz parte da nossa identidade cultural e nacional.
É com ela que comunicamos, pensamos, sentimos, criamos. A nossa língua tem cerca de 250 milhões de falantes.

    Esta efeméride foi proclamada pela UNESCO em 1999 e reconhecida formalmente pela Assembleia Geral das Nações Unidas. A situação que lhe deu origem remonta a 1948; nesse ano, o Governo do Paquistão declarou o urdu como única língua oficial para todo o território; no atual Bangladesh, cuja maioria de falantes tinha como língua materna o bengali, houve protestos. Em 21 de fevereiro de 1952, em Dhaka, durante uma manifestação em defesa do reconhecimento do bengali, alguns estudantes universitários e ativistas políticos acabaram por ser mortos pelas forças policiais.

      Ao comemorar o Dia Internacional da Língua Materna pretende-se proteger todas as línguas faladas no Mundo, homenageando tradições culturais e respeitando a diversidade linguística, pois algumas estão em risco de desaparecer…

 
Links :
https://www.youtube.com/watch?v=-jIU2xvH614
 
 

 

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Importância da Leitura

 


         "Porque quem muito lê, bem escreve e muito sabe! "


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

DIA DA INTERNET MAIS SEGURA 2019


No dia 5 de fevereiro de 2019, comemora-se o Dia da Internet Mais Segura.
Para que este dia seja assinalado, convidamos a comunidade escolar a dinamizar atividades sobre as temáticas relacionadas com a Segurança Digital, durante o mês de fevereiro de 2019.
Esta é a oportunidade perfeita para introduzir, ou reforçar, os temas da segurança digital entre alunos, professores, assistentes operacionais, encarregados de educação e pais.
Vamos envolver a escola!
Colabora!

Dia Mundial da Luta contra o Cancro

4 de outubro
DIA MUNDIAL
DE LUTA
CONTRA O CANCRO
Prevenção é preciso!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

O Regicídio


 

REGICÍDIO
(Morte do Rei D. Carlos I)

“ O Princípio do Fim da Monarquia Portuguesa”

1 de fevereiro de 1908

 

O assassinato do rei D. Carlos e do Príncipe herdeiro, D. Luís Filipe, foi o prenúncio do fim da monarquia em Portugal.
Os problemas de descrédito na monarquia vinham já desde o Ultimato Inglês, em 1890, a crise financeira e os adiantamentos à Casa Real. A decisão do rei D. Carlos, em Maio de 1907, de manter João Franco como chefe de governo, em forma de ditadura, quando este perdeu a maioria nas câmaras do parlamento (a Câmara dos Deputados e a Câmara dos Pares), foi contestada por todos os partidos, com exceção, obviamente, do de João Franco. Durante meses, o rei foi violentamente atacado na imprensa.
A família real regressa a Lisboa depois de uma temporada de caça em Vila Viçosa. O Rei D.  Carlos tinha acabado de assinar no Alentejo a sua sentença de morte. Apesar do ambiente de grande tensão e contestação à monarquia, o Rei decide atravessar o Terreiro do Paço num landau aberto e com uma pequena escolta. Entre a multidão encontravam-se atiradores da Carbonária (uma sociedade secreta defensora dos ideais republicanos), pronta para matar D. Carlos.
Com efeito, o regicídio de 1908 teve um profundo impacto, pois os republicanos ganhavam cada vez mais força. Neste ambiente de instabilidade e tensões, sobe ao trono D. Manuel II, jovem e inexperiente. Com falta de preparação para governar, teve muitas dificuldades para manter a ordem no país e em conter a fúria republicana.
 A monarquia estava assim já muito fragilizada e dois anos depois é Proclamada a República, em 5 de outubro de 1910.
 





 

Link:

“Uma Viagem ao Dia do Regicídio” :

https://www.youtube.com/watch?v=j0N9lKY_uao1 de fevereiro de 1908

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Importância da leitura

 
LIVRO
 
 " UMA  JANELA  ABERTA  PARA  O  MUNDO "